Motores Magnéticos: Como eles funcionam na realidade

Motores Magnéticos: Como eles funcionam na realidade

Através de dados fornecidos pela PROCEL (2012), sabe-se que o maior consumidor de energia elétrica no meio industrial são os motores. Para reduzir o consumo desse meio, surgiu a possibilidade de utilizar novos conceitos de motores, o motor magnético. 

Em 19/11/2017

O motor magnético é uma máquina externamente semelhante ao motor elétrico, gerando movimento rotativo através do magnetismo, embora nesse caso não mais por meio de corrente elétrica percorrendo bobinas, e sim através de superímãs dispostos tanto no estator quanto no rotor.

Entretanto, a montagem de um motor assim enfrenta uma série de dificuldades mesmo que de maneira geral seu princípio pareça bem simples.

Nos dias atuais, vem sendo dada mais atenção às fontes de energia renovável, pois sabemos que as fontes de combustíveis fosseis são limitadas. A intenção é minimizar custos e aumentar o lucro, diminuir a poluição atmosférica e ganhar espaço no mercado por meio de menores valores a serem oferecidos.

Entretanto, a energia renovável pode não ser um bom negócio para determinados investidores e empresas, gerando assim uma resistência ao desenvolvimento de novas tecnologias que ameacem o seu mercado. Entre as fontes de energia alternativa utilizadas, podemos citar a eólica, solar, células de combustível, entre outras.

YouTube - Como funciona um Motor Magnético - MAGNOMATICS

Neste vídeo, a empresa Magnomatics, responsável por muitas pesquisas na produção de motores magnéticos, apresentam metodicamente os benefícios de se utilizar uma tecnologia como esta.

O fato dos imãs terem dois polos magnéticos (norte e sul) justifica a existência de atração ou repulsão entre eles em um sistema, possibilitando teoricamente o funcionamento de um motor Magnético.

São vários modelos existentes na teoria, algumas patentes, vários protótipos caseiros. Veja o video, clique aqui.

Porém, oficialmente o conceito de movimento perpétuo ainda não foi provado. O que existe são motores magnéticos coagindo com outra fonte de energia, como alguns modelos da WEG, descaracterizando o movimento perpétuo, sendo este conceituando como: uma máquina, a fim de trabalhar, criando a energia que consome para que ela possa operar sem ter uma fonte de alimentação externa identificável.

Podemos utilizar o exemplo do navio, que é equipado com dezenas ou até mesmo centenas de motores elétricos. São motores responsáveis por gerar movimento às bombas, e no caso dos motores de grande porte, dar propulsão ao navio.

O fato de que motores elétricos geram movimento rotativo por meio do uso de campos magnéticos, nos dá a possibilidade de utilização de imãs permanentes no rotor, o chamado motor síncrono. Essa mudança ocasiona uma economia no consumo de energia elétrica e consequentemente no consumo de combustível dos geradores.

Essa tecnologia já é bem conhecida e desenvolvida. Porém, esse é apenas um exemplo da inserção do magnetismo.

A mera possibilidade de que um motor magnético de superímãs possa realmente ser criado, já implica uma verdadeira revolução na área de geração de energia, visto que esse motor não precisa ser alimentado com qualquer tipo de fonte de energia primária.

Magnetismo

É evidente que não há interesse econômico no desenvolvimento dessa tecnologia, criando assim muitos desafios e barreiras além da física. A mais brilhante solução em eficiência energética já apresentada está em fase de testes para equipar uma motocicleta no Japão.

Assista ao vídeo: Sem abastecer, sem poluição, sem ruídos e sem resíduos.

Como seria se o motor magnético se tornasse uma realidade?

É importante ressaltar, que este tipo de motor não serve apenas como substituto do petróleo. Até que se consiga um motor com potência suficiente e com custo interessante, leva tempo. Mas vale a pena aguardar e acompanhar a evolução desta ideia, não?

Muitas pessoas colocaram experimentos na internet alegando que conseguiu criar uma máquina de movimento perpétuo. Porém a partir desses projetos, foi possível perceber que os conceitos estudados ainda não se tornaram possíveis.

Apesar dos dados com tendências negativas na busca do movimento contínuo, os estudos não devem parar por aqui, pois, essa vertente da física possui um grande futuro em muitas áreas, inclusive na aplicação industrial, trazendo enormes economias na parte de redução de gastos em energia, podendo investir em outros setores dentro da empresa.

Como disse Charles Chaplin: "A persistência é o caminho do êxito".

O propósito desse trabalho é diminuir o consumo de energia elétrica para tentar suprir essa demanda crescente, mas de um ponto de vista econômico e não produção energética.
Enquanto o motor cem por cento magnético não é definitivamente criado e provadas suas teorias, existem alternativas híbridas que podem ser aplicadas atualmente nas indústrias, como o Wmagnet System da WEG:

Linha WEG WMagnet

A linha Wmagnet oferece rendimento Extra Premium mais potência por carcaça, ampla faixa de rotação com torque constante sem a necessidade de ventilação forçada e maior vida útil.

A Revimaq tem constante preocupação com as novas tecnologias sendo desenvolvidas, para que possamos implantar em nossos clientes as soluções mais eficientes e atuais do mercado.

E você? O que pensa sobre os motores magnéticos? Acredita que é uma teoria provável, ou apenas uma tentativa fracassada de energia sustentável?

Fontes:

http://peloamordedeus.com/cientista-italiano-usa-design-de-agroglifos-para-criar-motores-magneticos/

http://muitoalem2013.blogspot.com.br/2016/03/energia-livre-cientista-italiano-usa.html

http://www.magnomatics.com/pages/about-us/the-company.htm

https://pt.wikipedia.org/wiki/Motor_magnético

http://monografias.brasilescola.uol.com.br/fisica/motores-magneticos.htm

 




Mantenha-se Atualizado

Cadastre-se em nossa newsletter e fique por dentro das notícias, lançamentos e informações relevantes do nosso campo de atuação.

Fique tranquilo. Nunca enviaremos spam.

noticia.php